Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Nossas Estrelas

O principe e a princesa que vieram iluminar a nossa vida

As Nossas Estrelas

O principe e a princesa que vieram iluminar a nossa vida

14
Set08

Capitulo encerrado!

A Nossa Estrela

Parece que finalmente posso encerrar este capitulo, as coisas acabaram por correr, digamos que, menos mal. Não foi espontâneo, mas também não foi necessária a curetagem, vulgo raspagem.

 

Na noite de 4ª para 5ª coloquei os "ditos" comprimidos e ao mesmo tempo tomei um analgésico, passada uma hora começaram as dores intensamente, para se manterem de uma forma violenta por 7 longas horas. Mal dormi nessa noite, comecei com percas já pela manhã e ao todo, nesse período de tempo tomei uns cinco analgésicos.

 

Pelas 8 horas da manhã as dores estavam um pouco mais calmas e consegui vestir o Príncipe e levá-lo ao colégio, de seguida ainda fui para o escritório mas o mau estar era grande e voltei para casa. Falei com o meu médico e ele disse-me para tomar mais dois comprimidos e para ir ter com ele pelas 15 horas para fazer uma eco de controle.

 

A eco mostrou que o aborto estava em curso, embora o "saco" ainda estivesse lá dentro, o médico achou precipitado optar-se de imediato por uma curetagem e deu-me duas opções, ou voltava para casa e regressava ao hospital por volta das 21 horas para nova eco de controle ou ficava internada por umas horas e mais tarde faria nova eco. Optei por vir para casa.

 

Já em casa, senti que começaram a sair bastantes coágulos e a hemorragia aumentou, mas as dores estavam significativamente mais calmas.

 

Pelas 22 horas voltei ao hospital e para minha grande alegria verificou-se que o "saco" já tinha saído e a linha do endométrico estava também a diminuir, comparando com os valores da eco da tarde. A curetagem foi definitivamente colocada de parte e eu vim para casa bem mais descansada.

 

E pronto...acho que consegui encerrar este capítulo. Quero ir buscar os meus "congeladitos" mas não por agora. Preciso de descansar, principalmente a cabeça. Sei que consegui estar sempre optimista e mesmo quando o desfecho se revelou negativo não me deixei ir abaixo, mas seja como for, não são factos fáceis de ultrapassar e necessitam de algum tempo para serem digeridos.

 

Por agora vou dedicar ao meu Príncipe, ao meu maridão, à minha família e a todos os familiares e amigos que tanto me ajudaram a passar por isto, às vezes mesmo sem saberem.

 

O Natal está quase aí e por isso não quero arriscar um desfecho idêntico nessa altura do ano, assim, novo tratamento só para o início de 2009.

 

Beijinhos

Sandra

 

10 comentários

Comentar post